Ações da Via Varejo sobem e ficam entre maiores altas do Ibovespa após lançamento de banco digital

Por Danielle Fonseca

São Paulo – As ações da Via Varejo têm fortes altas e estão entre as maiores valorizações do Ibovespa hoje refletindo o anúncio do lançamento de um banco digital com foco na classe C, chamado de banQi, em parceria com a norte-americana Airfox. Às 12h09 (horário de Brasília), os papéis da varejista (VVAR3) subiam 2,58%, a R$ 4,77.

casas bahia via varejo
Divulgação / Via Varejo

Segundo a companhia, o banQi pretende originar clientes e oferecer serviços de pagamento nas 750 lojas Casas Bahia espalhadas pelo Brasil, e a partir dos mais de 60 milhões de consumidores que já se relacionam com as marcas da Via Varejo.

“A Via Varejo possui uma ampla base de clientes que já utilizam o
crediário, e o banco digital traz uma vantagem competitiva à companhia (e novas oportunidades a serem exploradas), com foco nas classes C, D e E”, disseram os analistas da Guide Investimentos, em relatório.

Os analistas da Levante Investimentos, Felipe Bevilacqua e Eduardo Guimarães, também acreditam que a notícia é positiva e deve aproveitar sua base de clientes, no entanto, destacam que os papéis ainda podem apresentar volatilidade no curto prazo em função da venda da fatia do Grupo Pão de Açúcar (GPA) na empresa.

Os analistas afirmam que a possibilidade de o acionista Michael Klein,
fundados da Casas Bahia, querer levar o controle da Via Varejo sem fazer oferta ao acionista minoritário, pode ter impactos negativos. “A ideia seria atrair investidores de forma a fazer uma ‘venda fatiada’ da participação do GPA, de maneira que a saída do GPA não configure uma troca de controle. Dessa forma não haveria o chamado ‘tag along’, ou seja, o direito do acionista minoritário vender a sua participação pelo mesmo preço que o grupo controlador (GPA)”, explicaram em relatório.

A avaliação da Levante é que enquanto a situação societária não for resolvida outras questões da empresa ficarão em segundo plano. Além de Klein, ainda haveria outros interessados na compra da Via Varejo, como as empresas Apollo Global Management e a Staboard Partners.